segunda-feira, 25 de maio de 2009

Microsoft bloqueia MSN em cinco países

Para aqueles que acreditam no caráter neutro das tecnologias da informação e em seu desapego a determinações de natureza política e econômica, a notícia é um bom motivo de reflexão: a Microsoft cortou o serviço do MSN em cinco países considerados como integrantes do Eixo do Mal, a designação que conduziu a política externa belicista do governo Bush. Desde a semana passada, os internautas de Cuba, Síria, Irã, Sudão e Coréia do Norte não conseguem acessar o programa de comunicação instantânea da empresa de Bill Gates. De acordo com o comunicado oficial do LiveSite.net, os serviços oferecidos àqueles países foram "descontinuados", um eufemismo cada vez mais presente no vocabulário da economia global. Diz o texto: "Nós confirmamos a notícia divulgada pelo LiveSide. A Microsoft descontinuou os serviços de mensagem instantânea em certos países sujeitos às sanções dos EUA".

A decisão da Microsoft de bloquear um programa gratuito com base em argumentos econômicos e políticos gerou estranheza e revolta entre blogueiros do mundo todo. Além disso, na contramão da alegada disposição de diálogo do governo Obama e da recuperação do discurso liberal prometido pela Casa Branca, a postura arbitrária da Microsoft causa tanta indignação quanto qualquer outra que viole a liberdade de expressão. Leia outras fontes.

Um comentário:

SSquirra disse...

As tecnologias da Comunicação, como outros bens industrializados são de propriedades comercial de quem as detém. No universo digital, forma alternativa são os softwares livres (no modelo do copyleft) e que permitem a conexão sem pagar a ninguém. Ligar tanta coisa a uma decisão irrelevante me parece desfoque analítico. Afinal, será que estão violando a "liberdade de expressão"? Outras tecnologias estão disponíveis, é só ir atrás... Squirra