domingo, 17 de maio de 2009

O performativo no jornalismo cultural: uma organização discursiva diferenciada

Em artigo produzido em co-autoria com a Profa. Dra. Elizabeth Moraes Gonçalves, minha colega do programa de pós-graduação em Comunicação da UMESP, apresento uma reflexão sobre o discurso do jornalismo cultural do Caderno 2, do jornal O Estado de S. Paulo, na cobertura da FLIP- Feira Literária Internacional de Paraty/2008. Discutimos como se dá a organização discursiva das matérias com o objetivo de identificar o aspecto performativo do jornalismo, tanto por sua própria presença no veículo quanto pela posição ocupada pelos jornalistas da publicação no cenário da crítica cultural. Avaliadas as condições de produção, remete-se ao "contrato de comunicação" estabelecido entre o suporte e seus leitores. Parte-se de uma revisão de literatura dos conceitos fundamentais de linguagem e discurso para uma aplicação ao jornalismo cultural. O artigo foi publicado no último número da revista Famecos, do programa de pós-graduação em Comunicação Social da PUC do Rio Grande do Sul. Acesse o texto integral aqui.

2 comentários:

Anônimo disse...

Mestre,
Profissional esse blog. Acho que a professora Polyana quer ensinar a gente a fazer um assim. Eu estou apreciando os textos. Parabéns pelo trabalho que beneficia muito mais aos que leitores que ao senhor mesmo. Obrigado por toda a atenção e carinho!

Grande abraço

Roni

William Marchiori disse...

Está muito bom, professor!

-Will