sábado, 19 de maio de 2012

Contrassenso brasileiro na Rio+20

Salvar o meio ambiente ou os interesses da
indústria automobilística?
Bonita a posição do Brasil na Rio+20: os objetivos de desenvolvimento sustentável têm que ser usados para mudar os padrões de produção e de consumo no mundo. Segundo o embaixador Luiz Alberto Figueiredo, que é a maior autoridade da participação brasileira na conferência, a mudança nesses padrões deve começar pelos países ricos. Disse ele ao Estadão: "não é possível que a nova classe média na Índia ande de bicicleta para salvar o planeta se a classe média num país desenvolvido tem dois carrões dentro da garagem" (leia a matéria).

A posição do Brasil diz respeito ao modelo de desenvolvimento industrial adotado no mundo inteiro desde o século XIX e que tem sido - ao lado da natureza predatória dos hábitos de consumo modernos - o principal responsável pela deterioração ambiental. Tudo indica que não há muita saída fora de uma mudança radical nos pressupostos de um sistema que sustenta seus símbolos de riqueza e de produtividade na liquidação irremediável da natureza, a começar pela atmosfera.

Figueiredo, no entanto, expõe o país a um contrassenso. No mesmo dia em que a notícia sobre a posição do Brasil foi publicada, uma outra matéria (leia aqui) dava conta do esforço que o governo brasileiro pretende desenvolver para que os bancos liberem mais recursos financeiros para os compradores de automóveis. A política governamental, é verdade, procura evitar a qualquer custo que uma depressão industrial afunde ainda mais as perspectivas de crescimento do PIB em 2012 e em 2013, mas é contraditório que essa mesma política estimule um modelo de crescimento não apenas baseado nos interesses de um segmento da indústria, mas em detrimento das próprias posições brasileiras na questão ambiental.
______________________________

Um comentário:

Navigator disse...

Interessante, porém acho que a saída deveria se dar pela industrialização, o Brasil vem sofrendo queda de desindustrialização nos últimos 2 anos...ou seja, ha de se desenvolver este setor, porém sempre viasando seguir a risca a produção de veiculos movidos a bio-combustivel, e principalmente a produção de veiculos populares movidos a diesel, que poluem menos e são mais economicos...(gasolina é coisa do passado) a mda deveria ser biodiesel e alcool...ebaaaarsrsrs

Absão Faro...

Marcos Méndez