segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Síntese ou pastiche da cultura brasileira?

Só dispomos das práticas alegóricas do carnaval
ou só conseguimos ler a cultura brasileira através delas?
O jornal O Globo, um dos poucos que ofeceram aos leitores uma interpretação da performance brasileira no encerramento das Olimpíadas de Londres (leia aqui) afirma que o que se viu ali foi uma "síntese da cultura do Brasil". Eu tomo a liberdade de discordar. Acho que o que se viu ali foi uma reiteração dos signos com os quais tradicionalmente somos interpretados como uma cultura exótica e colonizada. E nem mesmo o pouco tempo de que o país dispôs para se apresentar ao mundo justifica isso.

Não era preciso louvar a nossa modernização periférica ou os ícones da cultura de massa (os ingleses fizeram isso à exaustão durante toda a cerimônia), nem era necessário plastificar qualquer coisa que tenha a pretensão da originalidade. Penso apenas que um pouco mais do multiculturalismo (se não somos o país que detém o seu maior índice internacional não vamos além do 2o. lugar) que se traduz nos modos de vida, na arte, na etnia plural e nas personalidades que os representam) teria conseguido emoldurar com mais eficácia - e realismo - as nossas virtudes.  
______________________________

Em tempo: O fetiche cruel do ouro olímpico. Artigo de Ian Johnson, publicado no New York Review of Books (via Outras Palavras)
______________________________

Nenhum comentário: