sexta-feira, 19 de abril de 2013

Para que tudo continue do mesmo jeito...


A frase famosa de Giuseppe Tomasi di Lampedusa no romance O Leopardo - Se vogliamo che tutto rimanga come è, bisogna che tutto cambi (se queremos que tudo permaneça como está é preciso que tudo mude) - traduz a sensibilidade do escritor siciliano em relação ao conservadorismo da velha aristocracia italiana que se adaptava aos tempos da unificação da península para não perder o poder. No anúncio do Estadão de hoje (copiado ao lado), que nada diz sobre a fonte de sua inspiração, vejo puro cinismo: o jornal não está se adaptando a qualquer nova realidade do leitor, mas sacrificando o jornalismo em nome da mera racionalidade financeira.

* Recomendo a leitura do texto de Paulo Nogueira - A agonia do Estadão - e o artigo de Alberto Dines no Observatório da Imprensa - Quem matou o Sabático?

* Um bom texto sobre a trama do livro de Lampedusa (que também compõe o enredo do filme homônimo de Visconti) e sobre sua atualidade política, é o artigo Que todo cambie para que todo siga igual, de Eric Juliana, publicado no jornal catalão La Vanguardia.
______________________________

* E para não perder a oportunidade... continua muito ruim na fita o ministro da Educação. Depois de trocar os pés pelas mãos no enfrentamento das universidades na questão do plano de carreira dos docentes - praticamente liquidando com a qualificação pós-graduada, Mercante sofre uma dura oposição em quase todos os setores envolvidos no problema (leia a matéria da Folha sobre o assunto).
______________________________

Nenhum comentário: