domingo, 18 de maio de 2014

Dimensões culturais do Jornalismo

Apontamentos sobre Jornalismo e Cultura

Coletânea de textos sobre as relações entre Jornalismo e Cultura reedita artigos e pretende contribuir para a discussão sobre o tema. Abaixo, a apresentação do livro:

Antologia reúne 11 artigos sobre as relações entre Jornalismo e Cultura escritos por mim entre 2006 e 2013. São textos já publicados em periódicos científicos (com a única exceção da colaboração feita com o Suplemento Literário da Secretaria da Cultura do Governo de Minas Gerais), que agora compõem um painel articulado em torno dos principais resultados do projeto de investigação científica que desenvolvi no mesmo período na Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), onde atuo no Programa de Pós-Graduação em Comunicação. 

Dois desses textos foram produzidos em coautoria com minha colega Profa. Elizabeth Moraes Gonçalves, pesquisadora de extraordinária sensibilidade para a dimensão linguística do nosso objeto de estudo – parceria que me assegurou uma visão mais abrangente das relações entre os dois universos da pesquisa.

Meu interesse acadêmico pelas aproximações possíveis entre Jornalismo e Cultura data da tese de doutorado que defendi sobre a revista Realidade, na Escola de Comunicações e Artes da USP, em 1996, quando pude analisar detidamente o vínculo que a publicação da Editora Abril manteve, principalmente nos seus primeiros três anos de existência, com os novos padrões de comportamento de meados dos anos 60, época transgressora do conservadorismo que, no Brasil, vinha de braços dados com a construção do Estado autoritário iniciada com o golpe militar de 1964. O estudo de Realidade, que também para mim foi um dos suportes de construção e de entendimento dos significados da época, está na origem de uma preocupação que acabou por me acompanhar na vida universitária: quais os universos que a produção jornalística efetivamente traduz em sua operacionalidade noticiosa e de qual matéria-prima é constituída a sua narrativa? 

Ao contrário do que pode supor uma visão apressada do problema, a dimensão cultural dos textos jornalísticos tem larga abrangência, porque, desde a mais elementar reconstrução substantiva dos fatos até a mais intrincada reflexão presente nas matérias que avançam sobre os processos da criação artística ou sobre o universo conceitual do pensamento científico, o Jornalismo apela sistematicamente para os campos do imaginário e do simbólico, espaços que me parecem dar sustentação à sua eficácia comunicacional em todos os gêneros em que ele se manifesta. 

Em decorrência disso, penso que uma boa análise sobre os desafios e impasses que esse campo enfrenta como instituição dessa etapa de longa duração da contemporaneidade que estamos vivendo deve levar em conta os vínculos que suas pautas mantêm com a estrutura das formas de pensamento e valores, padrões de gosto e consumo, construções semânticas e míticas do e sobre o cotidiano e... com a sociabilidade que decorre da circulação das notícias – talvez até, neste último caso, como um subproduto das marcas estruturais de sua natureza fenomenológica. É, portanto, um complexo cuja compreensão cobra, dos estudiosos e dos que atuam profissionalmente com ele, um mergulho em territórios de diversas áreas do conhecimento (continue a leitura).
______________________________

Nenhum comentário: