quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ariano Suassuna (1927-2014)

Tem tanta gente boa morrendo... 
Acabo de ler algumas matérias sobre a obra de Suassuna escritas por jornalistas que ainda guardam itimidade com as questões mais delicadas e fundamentais da Cultura. O melhor desses textos me parece ser o de Jotabê Medeiros (aqui), do Estadão, que consegue com raro poder de síntese explicar o sentido da obra do dramaturgo e escritor paraibano: a simbiose entre o universal e o nacional na sua criação - de onde parece vir uma autenticidade radical dos tipos que criou, à semelhança de Guimarães Rosa. 

Acredito que é essa fonte da energia artística que justifica o lugar que esses autores têm na Cultura brasileira. Não há midiatização nem indústria cultural que consiga depreciar esse o patrimônio humanista que deixam...
______________________________

Nenhum comentário: