domingo, 7 de setembro de 2014

Ingenuidade na política econômica enfraquece discurso de Dilma

Sem reformas em profundidade na economia, governo vem alimentando o monstro dos interesses privados há mais de 10 anos, imaginando a construção de um consenso intercalasses de perfil social-democrata. Agora, com a fúria do neoliberalismo em busca dos votos para Marina Silva, o empresariado tirou o doce da boca da garotada e não quer mais brincar... 
Não dá para culpar a Dilma Roussef pelo estado de catatonia em que se encontra a campanha pela sua reeleição. Se há algum culpado, ele deve ser procurado no staff do planejamento estratégico do governo federal que acompanhou a Presidência da República desde Lula, embora os equívocos tenham se aperfeiçoado no tempo. O primeiro deles - e que me parece responsável pela deterioração da credibilidade doutrinária e política do PT com sua consequente perda de apoio - entendo ter sido a ingenuidade com que foi posta em prática uma política econômica que, a pretexto de consolidar a governabilidade, abriu mão da soberania do Estado em favor de todas as demandas privadas (continue a leitura).
______________________________

Nenhum comentário: