quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O bloco dos transidos

Manifestação contra Dilma registrou vários níveis abaixo das passeatas que levaram ao golpe de 64 e exibiu narrativas mais pretensiosas - embora de um mau gosto extraordinário e insuperável. O cartaz acima, empunhado por Fernão Lara Mesquita, um midiarca paulista (Estadão)*, mostra que o bloco dos transidos se pudesse votaria contra Maduro, contra Bachelet, contra Mojica, contra Cristina Krischner, talvez até contra Obama. Quem sabe o bloco não goste de nenhuma eleição que ameace seus privilégios. Uma coisa de dar medo!
O adjetivo transido me ocorreu assim que soube, via El País, do movimento pró-Aécio que uma pequena parcela da elite paulista - mal deu para congestionar o trânsito nos arredores do Largo da Batata - promoveu ontem em Pinheiros (leia aqui). O significado do termo me parece perfeito para entender o que aconteceu ali: transido significa transe, entorpecimento, alheamento ou ausência de percepção lógica da realidade. Em suma, um estado de alienação e de confusão mental, espécie de   embaralhamento das ações e uma extrema dificuldade de explicá-las.

Pois bem, a definição é precisa pelo sentido desencontrado da manifestação - que só ganhou alguma lógica quando as palavras de xingamento dirigidas a Dilma e Lula tocaram na alma social profunda dos participantes. O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, por exemplo, do alto do prestígio que lhe dá a posição que ocupa e desavergonhado de apoiar patrões, não teve qualquer constrangimento ao entoar o estribilho mal-educado: "que maravilha, a Dilma na prisão Papuda e o Aécio em Brasília". Fernando Henrique Cardoso foi o mestre de cerimônias disso tudo - uma pequena turba que reuniu o melhor do lumpen da inteligência da elite paulista sob o signo de posições ideológicas abolutamente consolidadas - a exemplo do que disse o yuppie anacrônico de apenas 28 anos: "troquei meu sagrado happy hour pelo Aécio Neves".

Legítima, democrática, espaço do direito à liberdade de manifestação, mas uma coisa feia, grosseira, despolitizada... Tomara que essa turma não vença o 2o. turno das eleições no domingo.

* Leia também a descrição que a noticia do UOL fez da "marcha" de ontem.

* Sobre a foto postada na abertura do blog: Fernão Mesquita, dono do Estadão, manda Venezuela se foder em ato pró-Aécio (Portal Fórum)
______________________________

Nenhum comentário: