quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Que país é este?

Aécio e o "trabalho remoto": nem FHC acreditou muito na história.
O candidato do PSDB à presidência da República admitiu que morava no Rio nos anos 80 enquanto trabalhava na Câmara Federal, em Brasília (uma sinecura que foi arranjada por seu pai, então deputado federal pelo partido que substituiu a Arena). Na cena acima, a expressão de Fernando Henrique é de ceticismo, mas não há porque duvidar da sinceridade do moço. Quem resolveu o problema foi a Folha, que chamou de "trabalho remoto" a safadeza de Aécio - na notícia em que dá conta da cara de pau do ex-governador de Minas quando admitiu a irregularidade. Deve ser por causa desse artificialismo linguístico e semântico que Chico Sá resolveu deixar o jornal...

Um gentleman informal na diplomacia brasileira.
O técnico Dunga acaba de dar uma bela demonstração das boas maneiras (na definição clássica de Enrico Troglodiate in Buone maniere nel Rinascimento fiorentino) que marcam as relações profissionais da nossa seleção com equipes estrangeiras. Na foto, certamente inspirado nos exemplos de cordialidade herdados da Era Filipão, Dunga recomendava aos adversários que tomassem cuidado com o "nariz trancado" provocado pelo ar poluído de Pequim, cena que motivou o bate-boca com o pessoal da Globo para quem Dunga, com o gesto, referia-se ao cheira-cheira que pode eventualmente ter rolado nos vestiários de los hermanos. Gentil, elegante, cordato e refinado... são os adjetivos que merece essa espécie de embaixador itinerante que o Brasil sempre teve nos técnicos da nossa seleção. Exemplo que motiva todos os seus comandados... como se pode ver na atitude totalmente "esportiva" e "ética" de Damião logo abaixo...

Damião ventila as costas e o pessoal já pensa que é maldade...
Com aquele calorão, o jogador brasileiro, na verdade, está ventilando suas costas quando puxa para trás a própria camisa. Maldade daqueles que viram na cena uma tentativa de cavar um pênalti. Esses jornalistas e o seu jeito negativo de olhar o mundo... Damião só fez traduzir o zeitgeist brasileiro (como o definiriam os neomarxianos da Unicamp e de Higienópolis) e que foi imortalizado na frase de Gerson nos anos 70: "a gente tem que levar vantagem em tudo, certo?". Oportunismo, desfaçatez, simulação? Nada disso. O espírito do fairplay é o que orienta nossas práticas sociais e não há motivo para duvidar de que sejam elas as normas que norteiam nossas vidas cotidianas, o trabalho, a verdade, o engajamento naquilo que fazemos, como demonstram a Folha e Aécio Neves nessa história de "trabalho remoto". Pois sim...

Enquanto isso, hoje, 15 de outubro, é o Dia do Professor. Uma grande data para um desafio ainda maior: tem muita coisa a ser ensinada e muita coisa a ser aprendida pela sociedade brasileira.

E não deixe de ler O sexto turno, um excelente análise de Mauro Iasi (PCB) sobre as vicissitudes político-partidárias brasileiras (via blog da Boimtempo)
______________________________

Nenhum comentário: