sábado, 21 de fevereiro de 2015

Fausto e as empreiteiras...

Fausto, gravura de Rembrandt de 1652. 
No final das contas, tudo se resume a esse acerto de contas com a obsessão pelo absoluto: o poder desmedido que acaba sendo punido pela nêmesis. Nossa operação Lava Jato, apesar de cabocla como é, reproduz um pouco esses mitos da cultura universal...  
Estou impressionado com os rumos que o escândalo que envolve a fina-flor da facção das empreiteiras vai tomando. Confesso que o assunto começa a se tornar cansativo, mas os ingredientes  novos que os jornais apresentam todos os dias cobram outras interpretações. As novidades de ontem são duas - além das pouco convincentes (muito pouco, aliás) explicações do ministro Cardozo: a fatura que a facção das empresas quer cobrar de Lula e a chantagem que elas fazem agora com demissões de trabalhadores e paralisação das obras (continue a leitura).
______________________________

Nenhum comentário: