domingo, 1 de março de 2015

HOUSE of CARDS no Brasil: sinais trocados

O apelo populista entre nós se faz com o sinal trocado e transforma o quadro político num arranjo caótico - porque é dirigido às elites empresariais e não à construção do sujeito político popular. É o que o escândalo das empreiteiras comprova.

Também eu estava ansioso para o início da 3a temporada de House of cards. É uma série muito bem construída e chego afirmar que ou os roteiristas ou a equipe toda de consultores que trabalha na abençoada Netflix (esse canal que nos livrou da Tv aberta e da Tv por assinatura) tem uma boa e calibrada percepção dos processos políticos. Agora mesmo, nos capítulos que foram postos na rede nesta semana, o presidente Frank Underwood lança mão de um programa de criação de empregos subsidiado pelo Estado para compensar sua baixa popularidade, já que sua chegada ao poder se deu pela via administrativa e não pela via eleitoral, fato que caracteriza a sua frágil base parlamentar e midiática (continue a leitura)
______________________________

Nenhum comentário: