quinta-feira, 16 de abril de 2015

Nas ruas, contra a terceirização

Largo da Batata, São Paulo, 15 de abril de 2015: um país indignado com a maldade social praticada contra os trabalhadores por empresários e pela facção conservadora da Câmara dos Deputados

Um comentário:

Unknown disse...

Terceirizar mão-de-obra em atividade fim é uma maneira de fugir das leis trabalhistas e das garantias constitucionais. Tentativa de se criar condição para usar o trabalho sem valorizar o trabalhador. A CLT precisa de revisão sim, mas terceirizar é um crime!!!