segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Na Espanha, o catatonismo do ministro Levy

O impacto da austeridade fiscal sobre a sociedade pode ter como parâmetro a própria Espanha que o ministro elogia: 22% de desempregados, a maior taxa do mundo.

Os jornais deste 7 de setembro estão cheios de presentes e, entre eles, há de tudo um pouco: desde as sombrias previsões do Eduardo Cunha - em 2016, disse ele, "muitos programas [sociais] vão acabar, não tem outro jeito" - até o estado de suspensão que o país inteiro vive na expectativa da queda de braço entre movimentos pró e contra Dilma que seguem os desfiles de Brasília. A melhor notícia, no entanto, vem da Espanha, onde está o cambaleante ministro Joaquim Levy participando de um Fórum empresarial organizado pelo jornal El País para discutir questões da economia brasileira.

É claro que Levy está na capital espanhola para provocar otimismo e dele não se pode esperar nada diferente em razão da função que ocupa. Mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa: entre despertar otimismo e encontrar elementos na realidade econômica do país que o recebe que justifiquem a política siamesa que ele próprio aplica na realidade econômica do país que ele ministeria, a distância é muito grande. Digo isso pois em Madri Levy saiu-se com a afirmação desastrada de que "a Espanha é referência a uma política de ajuste bem-sucedida" (continue leitura).
______________________________

Nenhum comentário: