domingo, 13 de setembro de 2015

Quem sabe agora...

Quem sabe agora, em consequência da forte reação dos movimentos sociais contra mais essa guinada à direita que Dilma quer implementar, a coisa entre nos eixos? A despersonalização  dos projetos reformistas que estamos assistindo desde 2003 e sua substituição por um modelo de conciliação de classes (acho que bem explorado por André Singer em Os sentidos do Lulismo) penso que é a raiz de toda crise e acho que só mesmo com um retorno às origens - um "cavalo de pau", como ouvi dia desses - de sua extração social e política é que pode devolver estabilidade ao governo - em que pese o caos que as elites  tentariam criar em cima disso.

O noticiário deste domingo mostra um impasse de natureza social cuja superação Dilma só consegue deixando de lado os interesses empresariais e financeiros que conspiram abertamente contra ela e contra as políticas sociais...

______________________________ 

Nenhum comentário: