quarta-feira, 11 de novembro de 2015

A tragédia de Mariana tem dono e o dono tem muitos nomes...


Não há como contornar a constatação de que a tragédia provocada pela empresa Samarco na cidade de Mariana é uma espécie de emblema do caráter predador e tóxico que os interesses privados têm no Brasil. Aquele volume de terra que se estende pela imensidão desolada e silente que o vídeo acima mostra pode muito bem ser a metáfora do estrago ilimitado de toda a prática empresarial no país, dos planos de saúde falidos, das obras abandonadas do Metrô em São Paulo, da exorbitância dos lucros do capital financeiro, das práticas criminosas da Odebrecht, da fraude das empresas de transporte, da destruição da Universidade provocada pelo estelionato do ensino privado.

Leia também: * A lama da Samarco e o jornalismo que não dá nome aos boisMinas Gerais: Samarco é suspensa em região do desastre, onde 8 corpos foram achados * Samarco diz, agora, que reforçará nova barragem em risco em Minas * Lama da Samarco: biólogo aponta impacto por 100 anos na vida marinha | Blog do Alceu Castilho * BHP Billiton e Vale anunciam reunião com seguradoras no Brasil * Pescadores convocam 'Arca de Noé' por WhatsApp para salvar peixes de dilúvio de lama.
______________________________

Nenhum comentário: