sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Batedores de carteira...

O mito interesseiro da autoregulação (Outras Palavras). Eis aí um
bom texto que nos explica toda a farsa do mercado regulador

Um aluno me pergunta, todo angustiado com a prisão do banqueiro André Esteves, se o Brasil é um país que não tem jeito. Hesito em responder porque é possível que eu precise de muito mais que um café na praça de alimentação da faculdade para explicar a ele toda a complexidade do assunto, mas arrisco: com a elite empresarial que temos, o Brasil não vai dar certo.

Como subsídio para que o estudante possa compreender o que eu quis dizer, faço-lhe um desafio: selecione os três ou quatro principais escândalos brasileiros que estamos acompanhando no noticiário dos principais meios de comunicação, inclusive internacionais, e procure identificar o que eles têm em comum como dinâmica social e veja se é possível perceber uma lógica que os estrutura. 

Digo assim, para exemplificar: um dos principais empresários do país, Marcelo Odebrecht, está preso; o banqueiro André Esteves (causa da angustia o estudante que o vê como paradigma do sucesso empreendedor), também está preso; a mineradora Vale do Rio Doce e sua subsidiária Samarco - responsáveis pelo maior crime ambiental contra o Brasil -, foram acusadas de esconder dinheiro para evitar o bloqueio de suas contas (coisa de punguista barato); perto de 20 empresas estão sendo denunciadas, na operação Zelotes, por comprar Medidas Provisórias para conseguir isenções fiscais; as fraudes praticadas pela Volkswagen no mundo inteiro perdem feio para as irregularidades que a empresa cometeu no Brasil; o escândalo da Alstom sobre a fraude na concorrência dos trens em São Paulo; a apropriação de recursos públicos para financiar as empresas de educação...

Cerveró, Delcídio, Aécio Neves, Eduardo Cunha, primos, vizinhos, amigos e cunhados dessa gente, são o que se chama vulgarmente de café pequeno, isto é, são garotos de recado dos mega-interesses que estão na raiz da verdadeira expoliação que o Brasil sofre nesse arremedo de capitalismo em que vivemos. Um país que não acumula capital não porque não produza mas porque sofre uma sangria de transferência de renda da sociedade para os interesses privados que inviabiliza qualquer projeto. Com essa turma... não vai dar certo.
______________________________

Nenhum comentário: