sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Os desatinos de Alckmim e a pulsão civil dos estudantes

Boa educação: Estudantes rejeitam proposta de Alckmim e ocupações
continuam
(Talula Mel e Igo Truz)
Esse pessoal que teve a ousadia de por a nu o governo de Geraldo Alckmim ocupando escolas ameaçadas de fechamento está de parabéns: vem da parte deles um efetivo sinal de alerta sobre os desmandos que o controle conservador sobre o estado de São Paulo oculta ha anos e que só se evidenciou agora pela dimensão do absurdo que está sendo cometido contra a Educação.

O governador, no entanto, parece disposto a jogar pesado. Agora mesmo, nem bem conseguiu se livrar provisoriamente das consequências da crise hídrica e da absoluta perda de autoridade sobre a polícia, acaba de anunciar um pacote de privatizações que transfere para a voracidade do capital privado a exploração de serviços essenciais para a população. A iniciativa, tomada num momento de sucessivos  escândalos nacionais provocados pela rapina dos empresários sobre o patrimônio público - rapina que vitimou o próprio Alckmim pela calote que ele tomou do consórcio responsável pela construção da linha amarela do Metrô - sinaliza uma prática desatinada de gestão que bem merece um questionamento do Ministério Público e da própria sociedade sobre o que resta de mandato para o governador.

Sobre a ocupação das escolas ameaçadas de fechamento, sugiro a leitura desse noticiário que vai virando a crônica da pulsão civil que toma conta dos estudantes (as notícias mais recentes lá embaixo):

* 7 motivos para admirar os estudantes paulistas (Renata Hummel) 
* A vida em uma escola ocupada (Marina Rossi) 
Intelectuais e professores, o que têm a dizer? (Douglas Oliveira) 
* Por que a reforma que afeta 300 mil alunos virou caso de polícia? (Gil Alessi) 
* #OcupaFernão: Algo acontece em São Paulo (Alceu Castilho) 
A Educação está sob ataque (Ailton Fernandes) 
* Uma política absurda de Alckmim (Bomtempo) 
* Doe uma aula (#SefecharAGenteOcupa) 
* Sindicato dos professores das escolas particulares publica moção de apoio aos estudantes (Sinpro-Sp) 
* Alckmim condiciona diálogo a desocupação de escolas (Estadão) 
* Escolas não são apenas prédios (Estadão)
* Faz sentido fechar escolas em São Paulo? (Estadão)
Alkimin corta bônus de escolas invadidas (Estadão) 
* Justiça nega reintegração de posse e movimento contra Alckmim ganha força (El País)
* Ocupação de 182 escolas em SP vira teste de resistência de Alckmin (El País)
* Caminho é investir na educação e não reorganizar para economizar (El País)
* Uma maneira de ser escutada (Aliás)
Alckmin decreta reorganização da rede na 3a, dia 1o. (Uol)
Estudantes protestam contra o fechamento de escolas (El País)
Ocupações revelam: governo depreda escolas (Outras Palavras)
* Secundaristas se organizam com "manual de como travar uma avenida" (El País)
* Promotor vai à Justiça contra reforma de Alckmin (Folha)
* A revolta dos adolescentes vista por dentro (Outras Palavras)
* É jogo político, diz chefe de gabinete sobre declarações de Chalita (Estadão)


Protesto de estudantes termina em confronto com a polícia (Estadão)
Após confusão, quatro são detidos em protesto contra a reorganização (Folha)
* Estudantes reclamam da truculência da polícia (Uol)
* E se morrer um estudante (Sakamoto)
* A truculência contra os estudantes em 5 vídeos (Fórum)
* Repressão de Alckmim inaugura a nova fase da reorganização escolar (El País)
* Não é confronto, é repressão (El País)
* A subversão dos alunos que ocuparam suas escolas (Luis Nassif)
Manifesto de intelectuais e artistas de apoio às escolas (Boitempo)
* Ecos de junho na luta dos secundaristas (Outras Palavras)
* As imagens do que acontece quando os estudantes protestam em São Paulo (El País)
* Vídeo mostra rotina de escolas ocupadas (Folha)
* Estratégia zero (Folha)
* Polícia dá aula de Física e Química (Folha) 
* Minha esperança é que esses jovens cheguem logo ao poder (Folha)
* Estudantes decidem manter escolas ocupadas e a punição dos PMs (Folha)
* Festival em escolas ocupadas é mantido (Folha) 
* A educação sentimental de Geraldo Alckmin (El País)
* Radicalização dos protestos e ação da PM forçaram recuo de Alckmin (Folha)
* Estudantes que forçam governo de SP a recuar têm perfis heterogêneos (Folha)
* A história da escola ocupada que fez 93 ficarem abertas (Estadão)
* Aula de cidadania (Criolo)
* É política sim, Geraldo (Eliane Brum)
* Se Alckmin recuou, por que os estudantes continuam mobilizados? (Marina Rossi)
* Resistir e persistir (Vitória de J. Monteiro Leite)
* Estudantes de São Paulo são tratados como inimigos (Marina Rossi)
* Justiça suspende reorganização escolar e pede agenda de debates em 2016 (Uol)
______________________________

Nenhum comentário: