segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Pérola do pensamento neoconservador

Não existe essa coisa de sociedade, 
o que há e sempre haverá são indivíduos
(Margaret Thatcher)
"Você não precisa mudar o mundo, mas pode mudar o SEU mundo", diz a Folha no especial com conteúdo patrocinado - ao que tudo indica - pela Vivo. O texto traz uma novidade bizarra: o surgimento de uma nova carreira, o técnico em futuro - ou futurista.

Me faz lembrar quando fomos visitados por um tal de Herman Khan na época da ditadura, um mistificador da Rand Corporation que fez sucesso entre as elites com previsões que nunca se concretizaram ou porque eram de tal forma óbvias que raramente eram levadas a sério. Khan era então enaltecido pela mídia como futurólogo, dizem que o primeiro a surgir na História.

Como se vê, nos anos 60 e 70, tanto quanto agora, já éramos reféns idiotizados de um pensamento rasteiro que anda por aí nos amarrando ao atraso.

Vale a pena, por isso, ler a entrevista que o presidente do IPEA, Jessé Souza, deu ao jornal El País: uma bela desconstrução da balela das virtudes do mercado em nome do tatcherismo fora de hora que a Folha apregoa.
______________________________

Nenhum comentário: