terça-feira, 5 de abril de 2016

Destempero e sandice contra a democracia


Numa manifestação ocorrida ontem no Largo São Francisco, palco de batalhas históricas pelo respeito às normas constitucionais, falaram Hélio Bicudo e Janaína Paschoal. O ambiente era parecido com um "fim de feira", tal era o estado de prostração das poucas pessoas que estavam no local, algumas delas transeuntes que passavam por ali e que foram pegos de surpresa com o estado de descontrole da "jurista" (assista ao vídeo), ela própria proclamando, aos gritos, uma auto-referência vaidosa assustadora segundo a qual "somos muitas Janaínas" e que o Brasil não é um país que se curva "às cobras". Do que é exatamente que ela falava?

Tenho a impressão de que está faltando poder de discernimento a Janaína Paschoal e os motivos para isso são muitos, um em especial: a percepção que a advogada tem de que o pedido de  impeachment que ela apresentou à Câmara não tem sustentação e que a aventura na qual se meteu com o saudoso Hélio Bicudo está perto de levá-la a uma grande decepção.

Se estivesse na dúvida, o destempero de Janaína Paschoal teria me deixado convencido de que o afastamento de Dilma é um golpe com ingredientes de sandice. Tomara que não aconteça...

* Sugestões: leia Por que repercutimos mais Janaína Paschoal do que Marco Aurélio Mello? (blog do Alceu Castilho) e assista na TV Estadão a explicação que a professora da USP dá para sua performance no Largo São Francisco. Por último: Lágrimas a quem se pretende tirar da presidência (Estadão, com uma crítica severa ao título da matéria)

* Cena final: Senador engana Janaína e faz com que ela apoie o impeachment de Temer (Estadão)
______________________________

6 comentários:

Anônimo disse...

Triste é ver um professor de história (ou militante?) totalmente cego e alheio aos fatos. Quer dizer então que, quando o Lula vocifera contra todos aqueles que não estão do lado dele, isso pode? É normal? A advogada não tem o mesmo direito? Francamente, "professor", o senhor é uma decepção. Ainda bem que esta História que estamos vivendo hoje não será contada pelo senhor daqui a quarenta anos, pois já imagino a versão que o senhor tentará inculcar nos pobres estudantes das universidades. Se há, porém, algo bom nisso tudo é o fato de que, a partir de agora, devemos ficar bem atentos ao discurso de historiadores como o senhor, marxistas e petistas. Se distorcem a realidade de agora, fico imaginando o quanto não sabotaram os fatos do passado. Olhos bem abertos a partir de agora!!!

Tahia Sarapo disse...

Será que esse senhor é sofre de glaucoma?Não há necessidade de diminuir seu interlocutor .Veja o Senhor o seguinte:Abusivamente a revista Isto é (não é nada ,aliás)fez um photo shop com o rosto da Presidenta e ela estava só vendo o Brasil marcar um gol.Marcelo Odebrecht está preso provisoriamente faz um ano pelo mais perigoso dos juízes .Quais fatos o PT sabotou?
O senhor sabe ler ? Lamentável é sua conduta que não vê nessa menina tresloucada que trata a bandeira como pano de prato e um velho com demência senil uma das mil tentativas de golpe que o senhor lamentavelmente apoia. Leia mais ,senhor Anônimo

Carlos Ferreira disse...

Querido anônimo, pelo menos o professor mostra seu rosto ao defender um ponto de vista.

Você tem todo o direito de discordar, mas ao menos respeite a posição de um professor que fez e faz muito por seus alunos. Eu sou um deles e não tenho o que reclamar, se você realmente soubesse o que significa ser um professor, com certeza, repensaria essas palavras... talvez repensasse até se deveria se dirigir dessa forma a um professor, concordando ou discordando dele...

Boa sorte na sua jornada, acredito que ela será bem árdua!

Anônimo disse...

Realmente , Tahia, leitura nunca é demais. Até para aprender a escrever melhor, o que não é o seu caso. Quer dizer então que eu não posso diminuir meu interlocutor, é? Mas você pode chamar o Helio Bicudo de "velho com demência sênil"? Chamar a Janaina Paschoal de "tresloucada"? Ah, bom. Entendi seu jeito beeeeeem peculiar de pensar. Vai aprender a escrever, vai, querida! Depois, conversamos.
Carlos Ferreira, minha jornada até aqui vai muito bem, obrigado. E desejo que a sua seja tão boa quanto! Minha questão não é se o professor "fez ou faz muito pelos seus alunos". Aprendi bastante com ele no tempo em que fui seu aluno. Mas discordo da visão unilateral que ele tenta imprimir ao momento atual do país. O professor diz que há um golpe em curso. Que são vilões os empresários, o Michel Temer, o PMDB (menos a Katia Abreu, que agora é santa para ele), o Sergio Moro, a Lava Jato, a mídia golpista, o Aecio Neves, o PSDB, a Janaina Paschoal... Mas eu não vejo esse mesmo professor ser tão contundente e enfático quando o assunto é o PT, o Lula, a Dilma, nada, nada. Se você dar uma busca neste blog, não tem crítica nenhuma nesse sentido. Portanto, concluo que é porque eles são, na visão do Faro, as vítimas, tadinhos. Não fizeram nada de errado. Estão sendo perseguidos à revelia da Justiça. Francamente, esperava mais seriedade desse professor.

J.S.Faro disse...

Prezado Anônimo (coisa feia o uso que você faz da prerrogativa do anonimato frente à impossibilidade de que eu possa fazer o mesmo...),

Gosto de ter provocado o debate, mas confesso que fico na dúvida sobre a necessidade de entrar nele: o que eu penso está no blog e não me vejo diante de qualquer constrangimento em responder às suas críticas, embora eu as respeite. Um blog é exatamente isso. Você poderia perfeitamente ter o seu...

O que mais me chamou a atenção, no entanto, foi a sua desatenção com os textos que escrevi sobre o governo petista antes do início da crise vivida por Dilma e intensificada a partir de março: percorra as postagens anteriores e verifique que fui bastante severo com as práticas conciliatórias com que desde Lula o governo petista veio se descaracterizando. Na minha opinião, foi justamente esse conservadorismo envergonhado que levou ao isolamento de hoje e a saída estaria - segundo penso até agora - na radicalização das reformas sociais. O PT, Lula e Dilma só estão na encrenca em que estão porque confundiram o Estado com o poder partidário e a aproximação com nossa burguesia como solução para os problemas econômicos. Estavam errados. Nossos empresários devem estar conspirando contra essa turma desde 2003.

Por que então sou levado a "pegar leve" agora? A resposta é simples: essa conspiração tomou a forma de artimanhas jurídicas e parlamentares que querem passar por cima de uma coisa muito simples: as eleições de 2014. É essa a violência que eu chamo de golpista. Sob esse aspecto, o risco vem do outro lado. O Brasil não aguenta mais a violência institucional que confunde a opinião pública e nos transforma todos em vítimas dos interesses privados.

Mas você sabe que eu não faço proselitismo politico em minhas aulas. Nunca fiz e nunca vou fazer. Se meus alunos e ex-alunos sabem de minhas posições não o sabem na classe, mas lendo o que escrevo. A História para mim é espaço de formação intelectual não de formação ideológica.

Ps: obrigado, Tahia e Carlos, pelas intervenções, elegantes e educadas acima de tudo.

Abraços



Anônimo disse...

Fiquei curioso agora, professor. Fui ao Michaelis e encontrei a seguinte definição para o termo elegância: "1 Que tem elegância, donairoso, distinto, nobre. 2 Bem lançado; proporcionado, donairoso. 3 Diz-se do estilo de notável graça e distinção, isto é, apreciável pela elegância. s m+f Pessoa que tem natural distinção no porte e nas maneiras."
Não me ajudou muito, mas certamente ofender alguém com termos como "demente" e "tresloucado" não é propriamente um gesto de elegância. Ou é? Estou na dúvida, porque as esquerdas já sequestraram tanta coisa nossa...os cofres públicos, a Petrobras, a História,...seriam os dicionários também? Talvez o significado das palavras mudou, e eu não sei.
Além disso, o senhor, mesmo reconhecendo que "o PT, Lula e Dilma só estão na encrenca que estão porque confundiram o Estado com o poder partidário"(o que já é gravíssimo), ainda diz que há golpe em curso no país. E o que o PT fez com as instituições nos últimos treze anos? Não é golpe? E não acho que isso tenha ocorrido por causa da "aproximação com nossa burguesia". Para mim, é só desonestidade mesmo. Ganância. Simples assim. É fácil botar a culpa nas "forças ocultas" quando o problema está na verdade bem perto de nós.
E, para finalizar, gostaria de lembrá-lo que o PP - o partido do Paulo Maluf, do Ciro Nogueira, dessa gente, você sabe, com a reputação lá em cima - decidiu ficar na base do governo. Como não vi nada no blog, presumo que logo mais o senhor exaltará essa união tão importante para o país. Se o senhor mudou de opinião em relação a Katia Abreu , por que não em relação ao Paulo Maluf?