sábado, 4 de junho de 2016

Muhammad Ali (1942-2016)


* A melhor das matérias escritas sobre ele: In memorian: Muhammad Ali - Jot Down (em espanhol)

Triste para o mundo essa notícia da morte do Muhammad Ali, um cara que nem seria possível imaginar que um dia ficasse doente, trêmulo, cambaleante, recluso, mas bonito como só ele foi. Pela força que inspirou - e da forma como o fez - em todos os que o viram sagrar-se campeão mundial dos pesos-pesados em meio ao ambiente corrompido do box, em todos os que o viram emancipar-se como negro, como símbolo da resistência à Guerra do Vietnã e como defensor dos direitos civis, o Cassius Clay que renegou seu nome de batismo pela adesão ao islamismo, foi uma espécie de ilusão da existência fora do tempo, uma eternidade midiatizada que hoje, com a notícia de sua morte, deixou de existir.

Na minha opinião, além de todos os vídeos de todas as lutas e outras batalhas protagonizadas por ele que estarão hoje mais disponíveis que nunca, sugiro a leitura de duas obras que considero clássicas sobre Muhammad Ali. A primeira delas, um clássico do new journalism, é o livro A luta, de Norman Mailer: uma reportagem maravilhosa escrita por um dos principais nomes da literatura norteamericana sobre o duelo entre Ali e seu oponente George Foreman disputado em 1974 no Zaire. O livro foi editado pela Companhia das Letras  e o combate pode ser visto aqui, mas os assaltos decisivos que levaram à vitória de Ali estão disponíveis neste vídeo do youtube.

A outra obra é o trabalho de David Remnick, O rei do mundo: Muhammad Ali e a ascensão de um herói americano. O livro, escrito pelo editor da New Yorker, acabou por inspirar o premiado documentário (Oscar de 1996) Quando éramos reis, de Leon Gast. Vale a pena ver tudo isso...

* O legado de segregação da cidade natal sede Muhammad Ali (Uol) * Tudo o que você precisa ler e ver sobre Muhammad Ali (The Ringer, em inglês) * Muhammad Alo e a tentativa de endireitar rebeldes (Outras Palavras) * The outsized life of Muhammad Ali, Sting like a butterfly, American Hunger (todas as 3 matérias de David Remnick, The New Yorker) * Muhammad Ali, o rei do mundo (El País) * Muhammed Ali, herói indomável do box (Jornal Opção) * Muhammad Ali tornou o mundo melhor (Barack Obama, Ópera Mundi* O rei dos reis (Luiz Zanin, Estadão) * A vida de Muhammad Ali em imagens (El País, em espanhol) * A melhor parte de mim se foi, diz George Foreman (ESPN) * Lenda do boxe, Muhammad Ali morre aos 74 anos (ESPN) * Muhammad Ali no cinema (Valor) * Cerca de 15  mil pessoas no funeral de Ali (Estadão).
______________________________

Nenhum comentário: