domingo, 24 de julho de 2016

Caso Alstom: Assembleia Legislativa deve afastar Alckmin

Atualização:


Perdão de dívida da Alstom por Alckmin será investigado


Matéria da Folha anuncia hoje (26/07) que o MP de São Paulo vai investigar o ato de imoralidade administrativa - e bastante desabonadora sobre sua transparência - que Geraldo Alckmin cometeu ao perdoar a dívida no valor de R$ 116 milhões que a empresa Alstom tem com a Fazenda pública. Além disso, o governador também permitu que a empresa, envolvida em diversos processos por fraude em licitações públicas, entregue o sistema de controle de trens do Metrô com 10 anos de atraso. Nada disso cheira bem (leia a postagem anterior sobre o assunto).
______________________________


Postagem de 24 de julho: 


O escândalo da Alstom - como ficou conhecido o rumoroso caso das irregularidades cometidas com os trens do metrô - ganhou esta semana sua face mais imoral e sórdida, não só porque é imoral essa anistia que Geraldo Alckmin, governador do Estado, concede à empresa - justamente ele que foi eleito para defender o interesse público -, mas porque o país está diante de um evento que exala um forte cheiro de roubalheira promovida por personalidades de ponta do tucanato, entre eles um ex-governador que hoje se destaca como liderança golpista em âmbito federal, como é o caso do "ministro" José Serra.

Não imagino o que os Ministérios Públicos Estadual e Federal devem fazer para restaurar o princípio da moralidade dos negócios do Estado de São Paulo, mas estou convencido de que pelo menos a Assembleia Legislativa do Estado, se a ela ainda restar algum pingo de dignidade e de respeito aos eleitores, deve abrir uma rigorosa CPI para apurar o envolvimento pessoal do governador no episódio e decidir por seu afastamento preliminar. Cassação de mandato, prisão e ressarcimento dos cofres públicos são decorrências eventuais desse processo - se for levado a sério.

Sugiro a leitura, em primeiro lugar, das notícias da Folha que dão conta imediata do episódio. Em seguida, a relação das informações que traçam o histórico do escândalo.

* Alckmin perdoa dívida de R$ 116 milhões de acusada de cartel * Acordo com a Alstom beneficia Metrô, diz secretaria dos transportes

O dia em que Alckmin foi à Alstom e autorizou trens que seriam superfaturados (Viomundo) * Alstom é alvo de uma série de investigaçõesFausto Macedo_O caso dos trens em SP * É uma vergonha a atuação do MPF no cartel de trens de São Paulo, afirma deputado * Metrô de SP rompe contrato e monotrilho da Linha 17 é suspenso * Os trens fantasmas do metrô * Promotoria já pediu dez vezes a prisão de executivos do cartel de trens em SP * Justiça de SP aceita denúncia contra cartel de trens durante o governo Serra * Com obra retomada, custo da Linha 4 deve aumentar em pelo menos 54% * Governo Alckmin dá calote de R$ 332,7 mi no Metrô de São Paulo * Governo Alckmin pedala e dá calote de R$ 333 milhões no Metrô Promotoria pede condenação de secretário de Alckmin e mais 8 por abandono de 26 trens do Metrô.
______________________________

Nenhum comentário: