quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Escola sem Partido: momento de lucidez na Assembléia Legislativa de SP

Dois projetos de lei apresentados na Assembleia Legislativa de São Paulo foram rejeitados hoje por unanimidade pelos integrantes da Comissão de Educação da Casa. O texto do relatório sobre as propostas é taxativo: "os argumentos escusos, autoritários e ideologicamente comprometidos, uma verdadeira tolice intelectual sob a falsa pretensão de uma 'escola sem partido' vem contaminando o universo da educação e desviando a discussão de seus reais problemas". 

O próprio Secretário estadual da Educação, José Renato Nalini, foi contra as iniciativas obscurantistas e medievais dos deputados Luis Fernando Machado (PSDB) e José Bittencourt (PSD). Para ele, a discussão sobre o assunto "é inócua porque a Constituição assegura a liberdade de expressão e de pensamento". Se aprovados, os projetos comprometeriam "o espírito crítico dos alunos (...). Ninguém quer escola blindada, escola homogênea. Homogeneidade é característica de formigueiro e colmeia, não é de espécie humana", afirmou Nalini  (leia aqui a íntegra da matéria do Uol).
______________________________

Nenhum comentário: