domingo, 7 de agosto de 2016

Raízes do Brasil

Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982), uma das matrizes
do pensamento brasileiro, comemora 80 anos de sua 1a edição: riqueza
radical do liberalismo comprometido com o projeto de desenvolvimento social
do país. Olhando em volta, estamos na estaca zero...
Devo ter me referido ao livro Raízes do Brasil, direta ou indiretamente, em muito mais da metade dos textos que escrevi dos tempos de estudante à maturidade da vida acadêmica, incluídas dissertação e tese. Em todas essas oportunidades, sempre descobri um ângulo novo de interpretação do país, seu fundo arcaico cultural e antropológico, as bases de um anti-dogmatismo que funcionou entre os apaixonados pelo projeto socialista dos anos 70 como um descortino  intelectual e uma saudável heterodoxia marxista. Quando li pela primeira vez o prefácio de Antonio Cândido à edição de 1967 de Raízes, aí sim é que me dei conta do sentido aberto da obra de Sérgio Buarque (acesse aqui o texto integral da obra e os prefácio e post-scriptum de Antonio Cândido disponíveis no site da USP).

Na verdade, se fosse possível alinhar lado a lado esse estoque de reflexões interpretadoras do Brasil, tão bem descritas por Carlos Guilherme Mota em Ideologia da Cultura Brasileira, estaríamos diante de uma "plataforma": Freyre, Caio Prado, os próprios Buarque e Cândido, Furtado, Bosi, Dante Moreira Leite... não sei se uma ou várias gerações que puderam oferecer à sociedade os indícios de um projeto social - que nossas elites transformaram nisso que está aí. Uma lástima... É por isso que festejar os 80 anos de Raízes não é apenas um gesto meramente comemorativo; é um traçado...

Sugiro estas leituras de Ilustríssima:  * Edição crítica celebra 80 anos de Raízes do Brasil * Texto de FHC sobre as raízes democráticas de Sérgio Buarque * Celebração da obra mostra miséria do nosso debate (Jessé Souza). 
______________________________

Nenhum comentário: