segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Queda livre: desmandos e decomposição política apressam colapso do golpe

Golpistas vão pagar com sua deposição pelas ruas se
imaginam poder atropelar a vontade popular
com repressão e chicanas
A esta altura, tão cedo e muito mais rápido do que se imaginava, o governo ilegítimo e ilegal de Temer caminha para o colapso. Isola-se na frente externa (como fica claro no repúdio que o mundo todo volta contra o golpe, inclusive na reunião do G-20) e na interna (com a corrosão da momentânea base parlamentar  que se formou com o escambo de votos na sessão do Senado).

De forma clara e, ao que me parece, inconfundível, o país caminha para um processo de Desobediência Civil que, torço por isso, a curto prazo vai derrubar a gangue que está no poder.

Há fundamentos sólidos que sustentam essa linha de análise: as ameaças de aprofundamento das desigualdades sociais e da crise econômica e política que as medidas que o empresariado exige que sejam tomadas para que as vantagens do golpe possam ser percebidas e auferidas. A coisa é tão pesada que nem os parlamentares que se aviltaram com o afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff estão dispostos a bancar a aventura. As matérias lincadas abaixo comprovam esse cenário: das trapalhadas de Serra aos desatinos previstos na área econômica, nem mesmo o mais pessimista dos intérpretes do Brasil poderia supor um esvaziamento tão rápido do governo. Sugiro a leitura de todas elas:

______________________________

Nenhum comentário: