quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Encenação de Deltan Dallagnol provoca indignação e repúdio

Provem corrupção que eu irei a pé para ser preso
desafiou Lula. 
Aécio, FHC, Temer, Padilha, Renan não teriam
coragem de dizer o mesmo

Denúncia inepta da Lava Jato expõe Ministério Público

O rebaixamento do Brasil para a segunda divisão das democracias ocidentais teve três momentos significativos: a votação da admissibilidade na Câmara, com aquela malta aos berros invocando o nome do pai e da mãe; a performance de Janaina Paschoal no comício do Largo São Francisco; e o jovem procurador gaguejante, armado de um Power Point capenga, conduzindo um discurso tatibitate naquele que deveria ser o grande desfecho da mais massacrante campanha já movida contra uma pessoa no país. 

Foi como se todo o edifício de marketing erigido em torno da Lava Jato desmoronasse de uma vez. Até agora era ensaio e jogo para a plateia. O jogo de verdade começou ontem. E, ali, não houve marketing que resolvesse (acompanhe a análise de Luiz Nassif postada no site do IHU).

* Denúncias contra Lula faz narrativa para criminalizar o mandato (El País) * Presidente da OAB critica espetáculo (Uol) * Para Jacques Wagner, denúncia pode elevar tensão social (Estadão) * Power Point do MPF vira piada (Estadão) * "Não temos provas cabais, mas temos convicção" (Youtube).
______________________________

Nenhum comentário: