sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Cinismo neoliberal: um vento que não para de soprar...

Os resultados das eleições municipais parecem ter liberado de uma vez as forças conservadoras que andavam ainda represadas à espera da oportunidade para a execução plena de seus projetos políticos. O resultado é essa sensação de um vento que assobia todos os dias na imprensa dando conta de uma tarefa urgente que o neoliberalismo está executando com uma sofreguidão sinistra. No final da linha, vamos ter dificuldade para andar sobre a ruína dos direitos sociais.

A ordem é a da desmontagem do Estado, do Pacaembú ao pré-sal, da Educação à Saúde. O discurso que procura enaltecer as virtudes do que está sendo feito aponta para o potencial de crescimento econômico que a iniciativa privada pode realizar em todos os setores da vida nacional. É um discurso sedutor que se contrapõe à percepção do senso comum para o qual o país precisa se reorganizar em novas bases, dotar o que é público da racionalidade empresarial. A lógica, no entanto, oculta o que há de pior na sua essência: a transferência da riqueza gerada pelo trabalho para a acumulação do capital, o nacional e o internacional; um gigantesco processo de concentração da renda que vai precarizar a vida inteiramente. Sugiro a leitura cuidadosa das matérias abaixo:

______________________________

Nenhum comentário: