quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

O México de joelhos


Humilhado, o presidente do Peña Nieto ainda insiste em se submeter a um gesto que vai envergonhar gerações inteiras de mexicanos por muito tempo. As elites colonizadas - a exemplo do que Temer pretende fazer com a base de Alcântara - não estão nem aí para a soberania dos países que governam e muito menos para os interesses de seus povos.

O México está pagando o preço de sua subordinação aos interesses dos EUA. O episódio da autorização de Donald Trump para a construção de um muro da vergonha na fronteira entre os dois países é o resultado final de uma processo histórico relativamente recente marcado pela progressiva renúncia das elites mexicanas aos interesses nacionais do país. O resultado foi a transformação do México numa espécie de oficina de montagem de produtos estadunidenses e sua inteira dependência da desvantajosa parceria no NAFTA. As consequências são vistas agora: uma nação de joelhos, culturalmente submetida ao vexame do preconceito, tratada como um bando de estúpidos, e transformada em mero enclave geográfico.

Se puder, Temer faz a mesma coisa. Indignidade não lhe falta; nem a ele, nem ao Serra, nem a qualquer um dos integrantes de sua facção.

Leia o clipping do blog México: o país que sumiu. Leia ainda: * Tensão entre México e EUA dispara (El País) * Se o México não nos tratar de maneira justa, iremos por outra direção (Estadão) * Trump estuda taxar em 20% importações do México como pagamento pelo muro (El País) * Trump ameaça guerra comercial com o México (Valor Econômico) * Crise sem precedente na história recente (VE) * Medida poderia violar regra da OMC (VE) * Trump e Peña Nieto conversam por telefone após disputa pelo muro (El País).
______________________________

Nenhum comentário: