sábado, 29 de abril de 2017

A rebelião brasileira

Largo da Batata em 28 de abril, na imagem do drone
 de Ricardo Stuckert publicada no El País
A concentração popular imensa e plena de energia em Pinheiros, já no final do dia, foi uma das centenas que ocorreram no país inteiro e que serviram para comprovar o repúdio de toda a sociedade às reformas trabalhista e da Previdência. Figindo indiferença ao verdadeiro cerco em que vive, Temer insiste em fustigar a ira popular que hoje leva seu governo a um incrível índice de rejeição de 96%. A saída para o impasse que criou esse fosso existente entre as instituições representativas do Estado e a sociedade talvez não seja pacífica, como já aconteceu em outras conjunturas de ruptura semelhante. Tudo indica que é a camarilha corrupta que está no governo com o apoio dos empresários quem está pedindo isso.

As melhores matérias sobre a Greve Geral: * O noticiário internacional sobre a greve no Brasil (GGN) * Temer minimiza greve geral e diz que reformas serão debatidas só com o Congresso (El País) * Sindicalistas avaliam que foi a maior greve e prometem mais (Valor) * Reformas criam uma cria uma guerra de classe (André Singer, Folha) * As ruas desafiam o governo Temer e o Congresso (El País) * A greve, muito além da esquerda (Vinicius Torres Freire, Folha) * CUT: paralisação é maior da história (IHU) * Flagrantes da greve geral pelo twitter (IHU) * Rejeição a Temer é recorde na história da Humanidade: só 2% votariam nele (da leitura de uma matéria do Valor)
______________________________

Nenhum comentário: