segunda-feira, 31 de julho de 2017

O Brasil infeliz da Era Temer

Só mesmo relendo Veríssimo para entender
 o que aconteceu com o nosso país: Idiotas (IHU)

A manchete do Valor Econômico de hoje é curta e grossa: Mais de 143 mil famílias voltaram ao Bolsa-Família neste ano, mas é uma manchete meio-verdadeira. Para ficar bem informado, o leitor deve acessar a edição  digital do jornal e ler o que falta para o título ficar completo: há 525 mil  famílias na fila do benefício (acesse aqui). Esse é um dos resultados mais dramáticos da criminosa política de austeridade fiscal posta em prática por Temer e por seus comparsas e permite visualizar - ainda que palidamente - os efeitos a médio e longo prazo da ilusão da estabilidade orçamentária promovida para assegurar o lucro dos bancos e o falso chamariz para a retomada dos investimentos. 

Aliás, basta uma rápida mirada para os demais setores - da produção científica à emissão de passaportes - para se concluir que o Brasil tornou-se um país miserável e desregulamentado, paraíso da corrupção protegida e esconderijo aberto de verdadeiros canalhas que usurparam os mecanismos de governo, entre eles e principalmente os empresários de todos os setores e de todas as grandezas.

Penso que Temer se safa da votação que na próxima 4a feira decide se prospera na Câmara o pedido para sua cassação em vista das denúncias de corrupção que o envolvem diretamente no recebimento de suborno para as falcatruas do PMDB. Para que tudo fique mais claro, torço para que essa possibilidade de confirme... para evitar que a sociedade brasileira se deixe levar pela fantasia de que o poder parlamentar e os próprios deputados encontram-se investidos de alguma prerrogativa que faça imperar a lisura dos procedimentos institucionais. No Brasil, desde 17 de abril de 2016, isso comprovadamente não existe mais. O controle político e ético está nas mãos de uma quadrilha...


______________________________

Nenhum comentário: