sexta-feira, 15 de setembro de 2017

No Brasil, luta de classes é ficção. Que o digam as Centrais Sindicais...

Conciliação não é apenas um desvio ideológico; 
é burrice e crime contra os trabalhadores
A montagem que o freqüentador deste blog está vendo ao lado não é uma armação de publicitários que querem enganar o público. É mesmo um fato real: um anúncio que informa sobre a constituição de uma frente disposta a "envidar todos os esforços" para fazer o Brasil crescer e permitir que o desemprego de 13 milhões de brasileiros diminua.

Tudo muito louvável, não fosse o fato de que os signatários da campanha são pelegos sindicais que se unem ao que de pior o empresariado brasileiro tem reunido na FIESP. Uma farsa de conciliação que vem assinada até mesmo pela CTB, a central sindical ligada ao PCdoB. Inimigos de fígado, especialmente depois do golpe do impeachment - responsável pela pior e mais dramática desmontagem dos direitos sociais e trabalhistas arquitetada e implementada por Temer e seus comparsas - agora aparecem suspeitamente abraçados. No lugar da disposição de luta que os trabalhadores esperam de seus representantes, a histórica conciliação de classes que, mais uma vez, beneficia o capital - já suficientemente beneficiado pelas reformas. O anúncio dessa campanha espúria é a prova de um crime.

Leia aqui o contorcionismo discursivo que as centrais sindicais - em especial a CTB - fazem para encontrar alguma justificativa para a sua adesão à política econômica neoliberal de Temer e Meirelles: Centrais entregam proposta para retomar desenvolvimento com geração de emprego (Blog do Renato).
______________________________

Nenhum comentário: