quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Postagem bloqueada pelo Facebook: A cólera pastosa e obscura do fascismo brasileiro

A mulher amaldiçoada, na pintura de 1859. 
Estivesse exposta no Santander e
seria apedrejada pelo MBL
A imagem ao lado (La Femme Damnée, A mulher amaldiçoada), segundo informações que obtenho no twitter (@kmendoncafilho), é um quadro do pintor francês Octave Tassaert criado em 1859. A fama que adquiriu nestes últimos dias decorre da insanidade assassina manifestada por integrantes do MBL (fanáticos que apoiam Temer e Doria) contra a exposição Queermuseu promovida pelo Banco Santander em Porto Alegre. Não tenho certeza de que a obra integrou a mostra, mas é como se tivesse integrado.

O episódio, que enche a sociedade brasileira de vergonha na mesma medida do caráter reacionário que o alimenta, deve ter sido aquele que maior repúdio e rejeição recebeu nas redes sociais e na mídia tradicional, mas é um episódio que traduz na sua sandice uma certa coerência com a profunda crise em que estamos mergulhados: de que outra forma uma presidência da república tomada de assalto por bandidos e desqualificados em geral mereceria tal simetria de propósitos? No final das contas, a excrescência que se manifesta no quadro político brasileiro é mesmo o melhor resultado que as nossas elites empresariais são capazes de promover; elas e os funcionários subalternos que a servem agachados e rendidos. Esse é o Brasil que emergiu do golpe de 2016.

______________________________

Nenhum comentário: