segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A hora do Huck

Doria e Huck, farinata do mesmo saco 
Observem o sorriso estilo selfie de ambos: uma hipocrisia de arrepiar
O Brasil não merece isso
A primeira vitória sobre a decomposição política que o Brasil vive - e que pode se agravar com as eleições de 2018 - a sociedade já conquistou: o aniquilamento da candidatura Doria para presidência da República. Em parte, por culpa da estupidez dele próprio; mas principalmente pela verdadeira guerrilha que se abriu na linha das redes sociais e da comunicação em torno da desmontagem do simulacro que o prefake armou na sua fracassada campanha. Hoje, se tiver coragem de lançar seu nome, Doria não se elege nem guarda de quarteirão.

Nossa burguesia, no entanto, tem um verdadeiro banco de reservas de estúpidos. Nem bem Doria afundou e já surge o nome de um outro pulha: o global Luciano Huck, um garoto ainda menor que Doria, mas embrulhado no apoio que tem de bancos e dos tecnocratas neoliberais, como o cidadão dupla face Armínio Fraga. Para quem tem dúvidas, sugiro a leitura da coluna de Bernardo de Mello Franco, na Folha:  A lata velha do Huck.

Portanto, está aberto o segundo mapeamento colaborativo de mais uma farsa das nossas elites: o Dossiê Huck. Todas as denúncias comprovadas sobre esse embuste podem ser enviadas para dossie2018@gmail.com
______________________________

Nenhum comentário: