quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Proteção aos escravocratas causa indignação no país e no exterior

É um contexto muito perverso onde tudo está ajeitado para
 a escravidão
 (El País)
Indignidade de Temer e de seus comparsas não tem limites: em busca desesperada de apoio para escapar da condenação por corrupção, o maior facínora que já presidiu um país praticamente libera o trabalho escravo nos latifúndios

Numa das suas ofensivas mais indignas para salvar-se das graves denúncias de corrupção, Michael Temer resolveu facilitar a vida dos latifundiários escravocratas através de portaria que torna mais difícil a fiscalização dessa prática em todo o país. Até agora, sempre que uma fazenda era pega em flagrante no uso de trabalhadores em condições análogas à escravidão, seu nome era incluindo na Lista Suja, fato que dificultava a obtenção de empréstimos bancários. Com a portaria do Ministério do Trabalho, o governo criou uma série de mecanismos que dificultam a ação dos fiscais, praticamente liberando a escravidão em todo o país. 

Além de expor o Brasil à execração internacional, a medida exibe de forma escancarada o que Temer está disposto a fazer para manter-se no cargo.

Da Procuradoria Geral da República aos fiscais que atuam contra a prática do trabalho escravo no Brasil, passando pela OIT, pela Comunidade Europeia e até pelo ex-presidente FHC, a edição de portaria que protege fazendeiros provoca indignação generalizada e amplia o isolamento internacional do Brasil. 

Nenhum comentário: