domingo, 10 de dezembro de 2017

A farsa do Banco Mundial sobre as universidades públicas brasileiras

Relatório sobre universidades do país parece dizer que há elefantes no céu

Artigo de Lira Neto publicado na Folha exibe as mentiras trabalhadas pelo Banco Central no pretenso diagnóstico feito sobre as universidades brasileiras: um reforço ideológico à privatização do ensino superior e à perda da soberania brasileira na construção do seu desenvolvimento.
"Um estudante em universidade pública custa de duas a três vezes mais que um estudante em universidade privada", sustenta o relatório, sacando números da cartola: o custo médio anual por estudante em universidades privadas seria de até R$ 14,8 mil; em federais, 40,9 mil.
A comparação é escalafobética. Nas universidades públicas, ao contrário do que ocorre na maioria das instituições privadas, a vida acadêmica não se resume à sala de aula. Abrange o indissolúvel trinômio ensino, pesquisa e extensão, por meio de ações sistemáticas junto à comunidade. Daí a necessidade de investimentos sólidos em hospitais, clínicas, museus, teatros e laboratórios, entre outros equipamentos...
Leia aqui a íntegra da coluna de Lira neto

Nenhum comentário: