domingo, 4 de março de 2018

Sombra de Olga Cenário sobre STF de Carmen Lúcia (via Paulo Moreira Leite, 247)

Num país onde os erros do Judiciário não costumam ser debatidos nem avaliados com a franqueza necessária, a sentença que em 1936 negou o habeas corpus a Olga Benário, militante comunista e primeira mulher do líder do PCB Luiz Carlos Prestes, permitindo que fosse expulsa para a Alemanha nazista,  onde foi morta numa câmara de gás, costuma ser apontada como um exemplo antológico de parcialidade e submissão da mais alta corte do país a interesses espúrios ao Estado Democrático de Direito.
Oitenta e dois anos depois, o processo contra Luiz Inácio Lula da Silva, condenado  sem prova a doze anos e um mês, ameaça se transformar num caso equivalente no Brasil do século XXI, país que até há pouco tinha o direito de se imaginar livre de grande parte das barbaridades típicas de governos autoritários presentes no processo contra Olga Benário (leia - e divulgue - o texto de Paulo Moreira leite).
______________________________

Nenhum comentário: