quarta-feira, 23 de maio de 2018

Piora a situação dos brasileiros mais pobres

Mais pobres perdem 5% da renda e desigualdade cresce

Thaís Carrança, via Valor Econômico


Na lenta saída da recessão, os 40% mais pobres da população brasileira perderam renda, enquanto as camadas intermediárias e de rendimento mais alto recuperaram ganhos no primeiro trimestre. Com essa disparidade, a desigualdade do país se agravou, numa tendência que não deve se reverter no curto prazo. A renda média mensal dos 20% mais vulneráveis caiu R$ 400 no primeiro trimestre de 2017, para R$ 380 de janeiro a março deste ano, queda real de 5%. Para a camada seguinte, a perda foi de 1,8% em igual intervalo, de uma média de R$ 963 para R$ 945.

Já na ponta superior da escala social, os 20% mais ricos viram seu ganho médio mensal passar de R$ 5.579 para R$ 6.131, aumento de 10,8% na comparação anual. A camada seguinte, de cima para baixo, foi a sue mais recuperou rendimentos no intervalo, com crescimento de 11%, de R$ 1.809 para R$ 2.007. No meio do caminho, quem tinha renda média de R$ 1.255 no começo de 2017, passou a ganhar 4,3% mais, chegando a R$ 1.300. Todas as variações são em termos reais, ou seja, já descontada a inflação (continue a leitura).

Leituras para entender a história de um país que não tem rumo: * Não faz sentido privatizar as elétricas para acabar nas mãos de estatais estrangeiras (El País) * Com queda na receita, previsão de déficit na Previdência sobe (Valor Econômico).
______________________________

Nenhum comentário: