domingo, 29 de julho de 2018

Nas ruas, sem esconderijos nem portas fechadas


O momento em que Gil e Chico cantam Cale-se, o inteligente trocadilho com a música Cálice que o próprio Lula fez sobre a imposição de sua prisão como silenciamento da sua voz e do que ela representa

O sábado foi também marcado pelos esconderijos das convenções partidárias da direita. Em São Paulo, a nata do que há de pior na política brasileira reuniu-se a portas fechadas para "homologar" João Doria Jr e de Geraldo Alckmin. Se saíssem às ruas, seriam vaiados. 

Está nesses dois cenários - o dos salões da oligarquia do capital e o do Arcos, no Rio de Janeiro, com o povo cantando - toda a simbologia da crise do Brasil, um país ocupado versus um país que se quer livre.

Nenhum comentário: