segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Um Brasil de dar medo

Tradição brasileira de hospitalidade e tolerância volta-se
contra o próprio país, visto hoje no mundo inteiro
como um reduto do atraso neofascista
 

Roraima é produto do neofascismo que se espalha pelo país

Parece insuficiente compreender e explicar o que está ocorrendo em Roraima como um mero incidente localizado causado pelos problemas que o número de refugiados venezuelanos criou na região. As manifestações de selvageria estão sendo acompanhadas de um grosseiro impulso xenófobo que supõe uma construção ideológica mais ampla da qual o Brasil está sendo vítima pela correnteza neofascista que toma conta dos nossos espaços sociais em sua pior forma: aquela que é embalada pelos cânticos coletivos de raiva e ódio, como se pode ver neste vídeo encontrado no Facebook nesta postagem do blog do Sakamoto.


Novo: Incentivo aberto ao crime

Não é uma mera coincidência, portanto, que os episódios de Roraima ocorram em paralelo com o absoluto colapso não só do governo federal - que na verdade nunca existiu como núcleo da autoridade republicana -, mas das normas tradicionais do diálogo que quase sempre cercam um ambiente eleitoral. Com sua principal liderança popular presa de forma ilegal, resta à sociedade brasileira - caso não se revolte nas ruas contra isso - acompanhar o festival de nulidades representado pela desqualificação moral e política dos principais candidatos à eleição de outubro, com raríssimas exceções. O Brasil inteiro é hoje uma grande Roraima... 

Leia mais: * Violência em Roraima é contra a imagem no espelho (Eliane Brum, El País) * Monstro da xenofobia ronda a porta de entrada de venezuelanos no Brasil (El País) * Migrantes vivem cotidiano de fome, preconceito e violência (Folha) * Em terra de Bolsonaro, Jucá é plebeu (Piauí) * Campanha inflama retórica anti-venezuelana (El País) * A dor dos imigrantes venezuelanos (El País) * Após conflito, 1200 venezuelanos deixam Roraima (DW) * Eles nos expulsaram como cachorros, diz imigrante venezuelana (Folha) * Êxodo da Venezuela e Nicarágua provoca surtos xenófobos na região (El País) * Caracas pede que Brasil garanta direitos de venezuelanos atacados em Roraima (Opera Mundi) * Candidato do Novo incita crime contra a esquerda em propaganda eleitoral (The Intercept) * Itaú cria seu partido e quer disputar presidência (SP Bancários) * Los náufragos de la globalización (FB).

* Sites contra-hegemônicos e veículos estrangeiros como fonte de informação sobre o que acontece no Brasil passam a ser uma boa alternativa para evitar a contaminação da "grande" imprensa brasileira pelo ultraconservadorismo.
______________________________

Nenhum comentário: