quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Com o que há de pior...

Gente desse tipo cria em torno de Bolsonaro uma
 zona refratária à inteligência: vamos pagar caro por isso
Na ausência de qualquer doutrina ou projeto que dê sustentação ao seu governo, em meio à confusão de suas próprias ideias e na diretriz centralizadora de uma gestão repressora do Estado, Bolsonaro transforma-se em presa do que há de pior no cenário político brasileiro: picaretas de todo o tipo que procuram - até agora, ao que parece, com êxito - abocanhar as fatias e sobras do butim que será feito com o Brasil a partir de janeiro, sob o seu patrocínio e com a sua proteção e assinatura.

Por enquanto, 2 grandes grupamentos se articulam nesse movimento ininterrupto na consolidação do ensaio da ultra-direita: o que desenha a política econômica (em outra postagem) e o que dá consistência programática à intolerância. Neste último caso, percebo dois conjuntos: o errático - tipo deputada que pede que os estudantes denunciem professores, garotão da classe média do Mackenzie que quer matar negros; e o evangélico - instituído em torno de picaretas alguns dos quais nas imagens acima, mas muitos outros que vão impor ao país um longo período de obscurantismo bíblico. O presidente eleito afirma que será qualificado por Deus para dirigir o país. Ao lado desses caras, duvido...

______________________________

Nenhum comentário: