sábado, 13 de outubro de 2018

Fogo cerrado

Daniel Aarão Reis 
Distinguir o núcleo duro da direita do antipetismo

A democracia está ameaçada no Brasil Conseguiremos salvá-la?

Daniel Aarão Reis
* entrevista ao site IHU
A novidade desta eleição é o surgimento de uma “onda conservadora que varreu o país, de norte a sul, evidenciando uma polarização forte entre petismo e antipetismo”, diz o historiador Daniel Aarão Reis à IHU On-Line, ao comentar o resultado das eleições presidenciais do último domingo, em que Bolsonaro obteve 46% dos votos contra 26% de Haddad. Apesar de a “nova direita” representada pela candidatura de Bolsonaro ter recebido mais votos, Aarão Reis pontua que “é preciso de fato distinguir um núcleo duro de extrema direita, combativo e ativista, e uma nebulosa de diferentes direitas — alcançando até setores centristas — que se reuniram momentaneamente em torno de Bolsonaro, mas que não são adeptas de regimes ditatoriais nem nostálgicas de última ditadura. O que liga toda esta gente é muito mais o antipetismo”.
Na entrevista a seguir, concedida por e-mail, Aarão Reis frisa que múltiplos fatores ajudam a explicar esse fenômeno, como a “extrema desmoralização do sistema político; ausência irritante de autocrítica pelos principais partidos (MDBPT e PSDB); situação aflitiva da questão de segurança; profunda crise econômica, com milhões de desempregados; péssimos serviços públicos (saúde, educação e transporte); questões comportamentais mal discutidas e mal resolvidas”. Além disso, menciona, “ao se sentirem desamparadas e não atendidas pelo sistema em vigor, muita gente se sentiu atraída e seduzida por propostas alternativas conservadoras, que se apresentaram como outsiders, ‘contra tudo o que aí está’” (continue a leitura).

Leia também: A radicalização da polarização política no Brasil. Análises (IHUA vitória da insatisfação (Diego Viana, Valor) * Uma eleição que demoliu todos os padrões de campanha no Brasil (El País) * O que iremos decidir (Sul21)
______________________________

Nenhum comentário: