sexta-feira, 30 de novembro de 2018

A doutrina da genuflexão

Um gesto, mil palavras: reverência e constrangimento dos brasileiros em cena antológica
são o apagamento consumado da nossa soberania

São as graves notícias sobre a política de sujeição absoluta dos Brasil aos Estados Unidos que Bolsonaro está disposto a colocar em prática. As iniciativas que vem sendo tomadas - todas no campo do ensaio, pois o presidente eleito ainda não tomou posse - revelam um projeto de condutas associadas, tanto no campo diplomático quanto no campo econômico, que significa literalmente o fim do Brasil como nação soberana no cenário internacional. Pensada para preservar os interesses econômicos e financeiros das elites brasileiras, essa "doutrina da genuflexão" nos transforma num enclave neocolonial.

Guedes vende tudo 
Empresas estatais valem R$ 802 bi
Esse processo, no entanto, tem uma lógica: o saneamento completo da economia brasileira com o aprofundamento das reformas que vêm sendo feitas desde o golpe de 2016, com ênfase para o equilíbrio fiscal que, segundo Paulo Guedes, seria feito pela desconstitucionalização do orçamento, isto é, pelo fim das despesas do Estado em áreas obrigatórias, como as áreas sociais, e pelo caixa formado pelas privatizações das empresas estatais. A renúncia ao patrimônio do Estado em benefício do capital financeiro nacional e estrangeiro tem como contrapartida o ônus que recai sobre toda sociedade que o construiu. Guardadas as proporções, é como se voltássemos ao Mercantilismo do século XVII. É esse o Brasil que essa turma está construindo...

Minha sugestão é para que os textos que aprofundam essa discussão sejam amplamente divulgados e discutidos: * Um dia se saberá (Janio de Freitas, Folha) * O Brasil será uma zona de sacrifício na geopolítica dos EUA (Boaventura de S. Santos, Carta Capital) * Quem se dá bem com a aproximação Bolsonaro-Trump (DW) * Alinhamento de Bolsonaro e Trump preocupa europeus (Piauí) * Bolsonaro bate continência para assessor de segurança dos EUA (Opera Mundi) * Estados Unidos, um aliado acima de todos para o Brasil de Bolsonaro (El País) * Quem são as personalidades que Eduardo Bolsonaro encontrou nos EUA (Uol) * Na mira de Bolsonaro: a Petrobras e o Pré-sal (Outras Palavras) * Estamos com Trump, finalmente! (postagem do blog).
______________________________

Nenhum comentário: