sábado, 8 de dezembro de 2018

50 anos depois, a marca e a lembrança do arbítrio: o AI 5

13 de dezembro de 1968: a tristemente célebre sessão de assinatura do AI 5, o instrumento que consolidou a ditadura militar, Na cabeceira, Costa e Silva. À sua esquerda, na terceira posição, o então super-ministro da Fazenda, Delfim Netto, que ainda hoje, com um cinismo desconcertante, não vê no seu próprio gesto o reconhecimento de que o Brasil viveu então a noite mais longa de sua história. Como disse alguém, lembrar o AI 5 é uma forma de lutar para que a experiência anti-democrática não se repita.

AI-5, um instrumento de intolerância

Maria Celina de Araújo

CPDOC, FGV, 2013
(Via GGN)

O Ato Institucional nº 5, AI-5, baixado em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do general Costa e Silva, foi a expressão mais acabada da ditadura militar brasileira (1964-1985). Vigorou até dezembro de 1978 e produziu um elenco de ações arbitrárias de efeitos duradouros. Definiu o momento mais duro do regime, dando poder de exceção aos governantes para punir arbitrariamente os que fossem inimigos do regime ou como tal considerados.
Geisel & Figueiredo
O ano de 1968, "o ano que não acabou", ficou marcado na história mundial e na do Brasil como um momento de grande contestação da política e dos costumes. O movimento estudantil celebrizou-se como protesto dos jovens contra a política tradicional, mas principalmente como demanda por novas liberdades. O radicalismo jovem pode ser bem expresso no lema "é proibido proibir". Esse movimento, no Brasil, associou-se a um combate mais organizado contra o regime: intensificaram-se os protestos mais radicais, especialmente o dos universitários, contra a ditadura. Por outro lado, a "linha dura" providenciava instrumentos mais sofisticados e planejava ações mais rigorosas contra a oposição (continue a leitura)

Leia também: * Nove páginas sobre o AI 5 (Folha) * Morte, exílio, tortura (Folha) * AI 5 faz 50 anos em país polarizado; general Heleno defende decreto da linha dura (Valor) * Produção artística era vista como uma grande ameaça (Valor) * Como o AI 5 foi usado para estrangular movimentos culturais há 50 anos (Folha, acesso para assinantes) * Sacrificamos algumas coisas não fundamentais, disse Costa e Silva nos EUA (Folha) * 50 anos do AI-5: negar ditadura é erro histórico (BBC) * Em busca da verdade (inventário do blog).
__________
______________________________

Nenhum comentário: