terça-feira, 12 de março de 2019

Para entender a crise econômica brasileira

Seriam os economistas imbecís? Artigo de David Decacche, via Outras Palavras

Por que continuam a aplicar os mesmos “remédios”, após seguidos fracassos? A resposta está na “terapia de choque”. Quanto mais doente, menos a sociedade reagirá às “reformas” que tornam país ainda mais desigual (leia a íntegra do artigo aqui)

Leia mais: * Fala de Guedes sobre Previdência e desvinculação do orçamento anima mercado (Folha) * Guedes diz ter pronta PEC sobre desvinculação do orçamento (Valor) * Produtividade do trabalho fica estagnada em 2018 (Último instante) * Produtividade da economia ficou estagnada em 2018 (Estadão) * Em negociação por Previdência, governo libera R$ 1 bilhão em emendas (Folha) * Privatizar Previdência foi um fracasso no mundo todo (Carta Capital).

Atualização1: * A perestroika brasileira é absolutamente descabida (entrevista com Leda Paulani, IHU):

É “difícil” fazer uma avaliação da política econômica conduzida pelo ministro Paulo Guedes, “porque de fato nada de concreto ainda foi feito na área, a não ser o envio da proposta de reforma da previdência ao Congresso”, diz a economista Leda Paulani à IHU On-Line, ao comentar a atuação da equipe econômica nos dois primeiros meses do novo governo. Já no nível do discurso, pontua, “não há nada além daquilo que já era previsto, ou seja, a condução da economia a partir de uma filosofia ultraliberal, que é a marca do economista Paulo Guedes”. Na avaliação de Leda, a declaração do ministro da Economia de que é preciso fazer uma perestroika brasileira, fazendo alusão a uma maior abertura econômica, “traz implícita a ideia de que o país está enredado nas entranhas de uma economia estatizada, com elevado grau de dirigismo”. Mas essa visão, frisa, “é absolutamente descabida quando se olha para a realidade e, principalmente, quando se tem em conta os parâmetros que vêm presidindo a condução da política econômica brasileira desde pelo menos o início dos anos 1990” (continue a leitura)

Atualização2: O maior crime contra o Brasil - o projeto que desvincula do Orçamento da União recursos destinados à Saúde e à Educação (Estadão, via TerraAndré Lara Resende escreve sobre a crise da macroeconomia (ValorPara desnudar a mediocridade das elites (Paulo Kliass, Outras Palavras) * Ar fresco: o artigo do André (João Sayad, Valor)

Atualização3: Produtividade da economia ficou estagnada em 2018 (Estadão) * Produtividade do trabalho fica estagnada em 2018 (Último instante) * Crise renitente (Folha) * Fala de Guedes sobre desvinculação de gastos sociais do orçamento anima mercado (Folha) * Governo age para blindar pauta econômica (Valor).

Atualização4: * Estrangeiros ficam com a maior fatia do leilão dos aeroportos (Carta Capital) * Área econômica do governo articula desestatização (Valor) * Bancos devem participar de nova rodada de concessões (Valor) * Com desvinculação, Congresso tomaria conta de uma pequena pare do orçamento (Folha) * Desvinculação proposta por Guedes é limitada, dizem economistas (Folha).
______________________________

Nenhum comentário: