domingo, 12 de maio de 2019

Argentina: o renascimento do Estado do Bem-Estar Social

Cristina Kirchner reencontra multidão na Argentina

A ex-presidenta da Argentina reúne milhares de pessoas no lançamento de seu livro de memórias

Enric González e Federico Rivas Molina

El País

Como a arquibancada do estádio de Anfield ou a multidão de um show dos Stones, a Feira do Livro de Buenos Aires foi à loucura. Cristina voltou. Ex-presidenta da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner lançou o seu livro de memórias, Sinceramente. E o entusiasmo do público explicou por que foram vendidos mais de 250.000 exemplares em pouco mais de uma semana. Não foi um comício nem o anúncio de uma candidatura, mas dá no mesmo. Restam poucas dúvidas após um ato político dessa magnitude. Embora continue guardando suas cartas, Cristina Kirchner estará na corrida pela presidência. E já propõe uma primeira ideia: um “contrato social” para o crescimento econômico.

Mil pessoas, convidadas pela autora e pela editora, lotaram a Sala Jorge Luis Borges. Na primeira fila, o prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel, 
a presidenta das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, antigos ministros peronistas, atores e intelectuais próximos do kirchnerismo. Muitos milhares se amontoaram lá fora, sob a chuva. Os cantos começavam na parte exterior e prosseguiam no interior, onde o entusiasmo era contagiante. O ambiente vinha esquentando havia horas e, nos momentos de chuva mais torrencial, antes da apresentação, muitos se refugiaram sob as arquibancadas do parque de exposições (na Rural, além da Feira do Livro, é realizada a feira agropecuária) para entoar a Marcha Peronista. Quando Cristina chegou ao lugar, blindado por quatro anéis de segurança, ecoou o grito coletivo de “Cristina, presidenta”. E, por fim, parou de chover (continue a leitura).

Leia mais: Eva Peron, 100 anos. (Brasil de Fato)

Nenhum comentário: