sábado, 24 de julho de 2021

O Brasil nas Olimpíadas: nem pompa nem circunstância

Nosso acanhamento será o quê?

É claro que ninguém imaginaria uma comissão de frente muito numerosa  na abertura das Olimpíadas de 2021. No cenário de austeridade social e sanitária que marca a realização dos jogos em Tóquio, a boa prática recomendou mais discrição do que euforia, singeleza no lugar da ostentação. O caso brasileiro, no entanto, talvez permita associações simbólicas que poucos países podem fazer:  nosso acanhamento, nosso constrangimento, nossa inexpressividade podem muito bem refletir a autoimagem dissimulada de um país governado por um genocida que nos deixa tristes e envergonhados perante o mundo inteiro.
Talvez, nas construções imaginárias do povo, os 4 heróis solitários da foto sejam um retrato mais fiel à realidade do que podemos supor.
 

Nenhum comentário: