sábado, 11 de setembro de 2021

Chile, 11 de setembro

Allende vive na luta contra Bolsonaro e na defesa da democracia

Presidente Salvador Allende no dia do golpe em Santiago do Chile: defesa intransigente da democracia às custas da própria vida. Quanta distância moral dos ratos que ocupam o governo brasileiro!

Como Allende, no Chile, em 73, também Vargas, no Brasil, e Arbenz, na Guatemala, em 54; Bosch, na República Dominicana, em 63; e Goulart, uma vez mais no Brasil, em 64. Muitas das esperanças populares da América Latina foram construídas pelo projeto de libertação que esses líderes defenderam.


Leia também (algumas matérias são resgatadas de reflexões sobre o golpe feitas em anos anteriores): * O bombardeio do Palácio La Moneda (YoutubeAriel Dorfman: Allende, 50 anos depois Atilio Boron: Allende, 50 anos depois (A Terra é redondaOperação Condor: a conspiração da Guerra Fria que aterrorizou a América do Sul (Carta MaiorChile, 1973. O armamento enguiçado da revolução (Outras Palavras) * Brasil: o fantoche do imperialismo (do blog) * Bolsonaro no Chile, uma vergonha para o Brasil (do blog) * Os dois 11 de setembro (Carta Maior).

* A história do último discurso de Salvador Allende (Jose Miguel Varas, CIPER) * Chile, 48 anos depois (José Luís Fiori, A Terra é redonda).

* El pueblo unido jamas será vencido: o emocionante hino da resistência chilena (Youtube)

Nenhum comentário: