terça-feira, 12 de outubro de 2021

O que há de pior

Aliança pelo Brasil

Tentativa de formar um megapartido que reúna o que há de mais nocivo para o Brasil é o esforço terminal para que o país continue nas mãos da oligarquia de sempre e vem associada às manobras de Bolsonaro para aliciar o que quer que seja, desde que isso o ajude a salvá-lo do naufrágio em 2022

O movimento de rearticulação partidária para o enfrentamento eleitoral de 2022 promete levar ao paroxismo o desespero das elites, ameaçadas como estão de serem varridas do governo pelo verdadeiro sentimento de revolta popular que o desastre Bolsonaro provocou. Na verdade, o esforço esconde aquilo que todo mundo sabe: nossas classes dominantes não têm um único projeto de desenvolvimento nacional que seja algo mais do que a espoliação dos trabalhadores, a liquidação dos direitos sociais e a venda da soberania nacional aos interesses externos.

Do seu lado, Bolsonaro lança mão dos poucos recursos que lhe restam quanto mais se aproxima hora da divulgação do relatório da CPI da covid - que promete se traduzir num forte e consistente libelo de acusações contra o conjunto dos crimes cometidos pelo ex-capitão, seus seguidores e auxiliares desde sua posse em 2018

Nenhum comentário: