quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022

Monark e Kim Kataguiri: cai a máscara do disfarce

Nazistas? Pior que isso...

Esse episódio do podcast em que Monark e Kim Kataguiri aliviam para o nazismo - um e outro mitigando sua natureza criminosa - e a sequência desastrosa das desculpas com que tentam depois apagar a sujeira da ideologia que ambos abraçam, é a evidência que faltava para confirmar a matéria-prima de que é feita a 3a via e seu corolário ideológico: o bolsonarismo

Vale a pena ler inteira a matéria do UOL e ouvir as justificativas de Monark e Kataguiri para entender o cenário em que se movimentam as forças que pretendem oferecer ao eleitor uma alternativa conservadora (mas nem um pouco liberal) para as eleições deste ano. Na verdade, 3a via é um eufemismo; disfarce para uma faixa de bolsonaristas arrependidos que tentam se manter dissociados do maior desastre político da nossa história e que ajudaram a construir.

Além disso, o que mais caracteriza a 3a via? Além do apego às práticas inconstitucionais e do ataque que promovem contra o corpo jurídico e legal do país - a exemplo daquilo que apregoam contra o STF, contra os direitos sociais e trabalhistas, contra a preservação do patrimônio nacional através de uma selvagem política de privatização em favor de interesses privados brasileiros e estrangeiros, a formação de uma suposta despolarização das alternativas postas pelas candidaturas a rigor tem como alvo o projeto social-democrata e desenvolvimentista defendido por Lula. Analisados esses parâmetros, a 3a via é toda ela um bolsonarismo de botox e glostora, falsamente bem-falante e com arroubos de um frágil discurso conceitual em torno da crise brasileira.  No final, querem a manutenção do que aí está.

Nenhum comentário: