sexta-feira, 11 de março de 2022

Mercadores do templo atacam outra vez

DO JEITO QUE O DIABO GOSTA

Projeto proíbe o uso da palavra 'Bíblia'
O deputado federal Pastor Sargento Isidório, do Avante (BA), é o autor do projeto de lei que proíbe o uso da palavra Bíblia "fora de contexto". A excrescência está para ser votada na Câmara e é mais uma das manifestações do obscurantismo evangélico que infesta a vida brasileira. A iniciativa - que conta com apoio de 16 partidos ligados às igrejas neopentecostais - é evidentemente inconstitucional e vai demandar a manifestação do STF (também ele já infestado pela presença de ministros comprometidos mais com a farsa das seitas do que com a lei), mas surpreende o fato de que uma proposta dessas tenha chegado aonde chegou. 

Ou talvez não deva surpreender? Às voltas com a construção do legado cultural do atraso, os evangélicos conservadores e de extrema direita são verdadeiras múmias doutrinárias que espalham os discursos de ódio e intolerância pelo país afora, boa parte deles em apoio ao fascismo bolsonarista. As "igrejas" que se formaram e cresceram em torno disso devem seu êxito ao desespero provocado pela pobreza endêmica da modernização brasileira e elas próprias são a expressão desse paradoxo, fato de onde deriva minha percepção de que o combate a elas não se confunde com a questão doutrinária sob a qual se escondem,  mas da rejeição ao seu projeto de poder nas ruas e nas eleições.

Nenhum comentário: